......................................................... POR UMA CPI NA MÍDIA
A CAIXA-PRETA DAS CAIXAS-PRETAS

 



Editora: Thaís Tibiriçá - tibirica@fazendomedia.com


12.01.2006
MODELO DE QUÊ?

Por Marcelo Salles - salles@fazendomedia.com

Gisele Bündchen já faturou cerca de R$ 170 milhões em dez anos de carreira, sendo R$ 31 milhões só em 2004. Aos vinte anos de idade, a modelo brasileira foi eleita a mulher mais bonita do mundo pela revista Rolling Stone; na época, a hora de Gisele nas passarelas já custava R$ 17 mil.

Duas vezes eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa, Ronaldinho Gaúcho fez com que o cachê do Barcelona saltasse de R$ 5 milhões para R$ 15 milhões por amistoso. De cada dez camisas vendidas pelo clube catalão, sete levam seu número 10 nas costas. Com um salário mensal de R$ 1,5 milhão, quem quiser comprar o passe do brasileiro antes de 2010 deverá desembolsar nada menos que R$ 330 milhões para cobrir a multa rescisória.

Sem dúvida alguma, estamos diante de dois fenômenos. Cada qual em sua área, Gisele Bündchen e Ronaldinho Gaúcho encantam o público em qualquer parte do mundo. Ela, por sua beleza indecifrável; ele, pela habilidade sobrenatural em campo.

Mas os dois personagens possuem muito em comum. Ambos nasceram num país periférico e explorado pelas potências hegemônicas. Conquistaram o reconhecimento na profissão que escolheram e construíram suas carreiras nos países exploradores. Ronaldinho e Gisele contam com a complacência do sistema, que sempre lhes oferecerá holofotes e microfones, pois não há nenhum risco de questionamento. Esses dois astros provavelmente pensam que a política é exclusividade dos políticos.

É bom deixar claro: não tenho nada contra o Ronaldinho e muito menos contra a Gisele, que considero a segunda mulher mais bonita do mundo - perde apenas para minha namorada. Mas certas coisas precisam ser questionadas, como os desfiles que ela fez com roupas de peles de animais, ou então quando ela posou com uma lingerie vermelha de R$ 38 milhões da grife Victoria's Secret, feita com 300 pedras de rubi e diamantes semi-preciosos. O "presente" incluía ainda um bracelete de R$ 10 milhões e um cinto com 76 pedras de diamante com ouro.

No momento em que Gisele usa seu corpo para divulgar casacos de pele, está cometendo um crime tão grave quanto aquele perpetrado pelos caçadores ilegais, pois ela induz milhares de pessoas ao consumo predatório. Ao posar seminua como um "presente" de R$ 38 milhões da Victoria's Secret, Gisele está apenas alimentando a imaginação de tarados milionários, que comprarão uma calcinha e um sutiã pela bagatela de 126 mil salários mínimos para vestir suas esposas ou amantes. Mas em quem pensarão na hora do sexo?

Na segunda-feira começou a Semana de Moda do Rio, que a mídia colombina alegremente chama de Rio Fashion Week, como se fôssemos estadunidenses, perdão, americanos. E confesso que me perco em tanta desinformação, em meio a tanta vulgaridade e elogios à futilidade. Essa mesma mídia acha tranqüilo publicar uma manchete como "Corpos? Não, os 'outdoors' da moda brasileira". É, deve ser mesmo isso. Aquelas pessoas não são seres humanos; são cartazes bem pagos para caminhar alguns metros cobertos por uma mentira chamada moda, fazer uma pose qualquer e dar meia-volta, numa grande ilusão que serve apenas para estimular o consumismo desenfreado. E não adianta vir com esse discurso imbecil de que "mas, a indústria da moda dá milhares de empregos". Ou, como outro dia me disse uma coleguinha deslumbrada: "Costureiras da Rocinha estão tendo trabalho pela primeira vez na vida". Sim, milhares de empregos. Milhares de empregos para enfeitar as dondocas, que vão dar quinhentas pratas, mil pratas numa roupinha dessa de passarela. Por que diabos essas costureiras não são pagas para produzir roupas para quem não tem o que vestir? Não por acaso a mídia colombina e a coleguinha deslumbrada incentivam a campanha de doação de agasalhos.

Depois do Rio será a vez da epifania da moda se mudar para São Paulo. E depois disso será a vez de a Copa do Mundo assumir a dianteira do entretenimento. E que se dane a injustiça social brasileira. Afinal de contas, temos Ronaldinho Gaúcho e Gisele Bündchen.


Clique aqui para assinar nosso jornal impresso


Este site é melhor visualizado na resolução de 800 x 600 pixels.
© 2004 Fazendo Media - por Kzal Design